Friday on the Rock

Se as segundas temos os Monday Animators para começarmos bem a semana, o Friday on the Rock é para sair do trampo já no pique do final de semana.

Faço das palavras de Jimmy Matanza as minhas:

Matanza – O Chamado do Bar

Hellacopters – Toys and Flavors

Wolfmother – Woman/Love Train

Gamma Ray – Rebellion in Dreamland

Onslaught – Destroyer Of Worlds

Exodus – Bonded By Blood

Kreator – From Flood Into Fire

Megadeth – Whose Life (Is It Anyways?)

– Curtam nossa pagina no Facebook;
– Nos circulem no Google+;
– Nos sigam no twitter
– Sigam nosso Tumblr;

Friday on the rock – Slayer

Daigo Oliva / G1

Foto: Daigo Oliva / G1

Depois de muitos anos de espera, esse que vos escreve teve novamente a oportunidade de ir a um dos melhores shows de metal do mundo: Slayer!

A primeira (e até então ultima) vez que vi o show deles foi no saudoso Monsters of Rock de 1998, onde eles foram os headliners. Ontem (09/06/2011), 13 anos depois, pude comprovar que a banda teve uma boa evolução, mostrando nos discos e nos palcos que é uma das melhores bandas de thrash metal do mundo.

A banda de abertura foi a Korzus, mostrando um som rápido, forte, impactante e muito vigoroso, provando que foi a escolha certa para fazer o aquecimento do show principal. Infelizmente eles tiveram pouco tempo para mostrarem tudo que sabia já que a apresentação durou cerca de 30 min apenas, porém fizeram um show matador mostrando pro público que não só os gringos sabem fazer e tocar rock.

Já o Slayer dispensa muitos comentários. Tanto que no final do solo de War Ensemble, o som que saía para o público “deu pau”, ficando provavelmente apenas no retorno da banda. Quando  Tom percebeu o ocorrido e ao invés de pararem a música, ele instigou o público a terminar a música cantando com Dave Lombardo destruindo na bateria. EU achei a atitude da banda muito foda (no sentido de bom rs)! No mais, o Slayer de sempre, Kerry King tocando muito, como sempre, Gary Holt mostrando que é um substituto a altura de Jeff (apesar que EU senti falta dos solos do Jeff, não curti muito os solos que o Gary fazia), Tom cantando muito alto para poder “competir” com a plateia que cantava com todas as forças do pulmões, e Dave detonando a bateria mostrando que ele é o cara pro Slayer.

Resumindo: um show foda, mostrando como se toca Thrash Metal. Na minha opnião, os shows do Big Four teriam que ter o Slayer como headliner e não o Metallica. Mas aí é uma questão de opnião…

Kerry King detonando em São Paulo

Foto: Daigo Oliva / G1

Veja o setlist do show:

Continuar lendo