Alanzinho Maniçoba – Bandido vida loka do capeta

Alanzinho Maniçoba, ladrão, matador, traficante, cantor de rap, mostrando que é mal

Poucas horas depois…

Ele queria mudar, queria mudar… E aí…

Agora ele além de roubar, matar, destruir e cantar,  ele come coração com farinha junto com o Zé Pelintra e o Exu Caveira huahuahua

Curtam nossa pagina no Facebook e sigam

O melhor amigo do homem

Willian, vulgo Borboleta, explicando porque o cachorro é o melhor amigo do homem.

“Se ocê cuidá do cachorro bunitinh, ele num faiz nada comcê…” Sábias palavras huahuahuahua

Borboleta cuida tão bem de seu cachorro que o Pitu até senta do lado dele para “beber uma”

Curtam nossa pagina no Facebook e sigam

Dia mundial do ROCK – 2011

No dia mundial do Rock, pensei em fazer uma homenagem a esse grande estilo, não apenas musical, mas também de vida. Estilo que mudou a música e a vida de vários milhões de pessoas.

Me lembro de quando criança, apesar da pouca idade (e falta de personalidade musical rs) já tinha contato com o rock ‘n roll. Mesmo não entendendo bem do que se tratava, já tinha simpatia pelo Kiss que tinha a lenda de que matavam pintinhos pisoteados no palco, com o clip de Epic do Faith no More passando no finado Clip Trip da TV Gazeta, Guns ‘n Roses  e Lobão tomando vaias no Rock in Rio, do Hollywood (“Hollybomba” para os íntimos rs) com seus comerciais e o Hollywood Rock.

Mas fui realmente envolvido pela magia do rock com o clássico Rock ‘n Roll Racing. Ouvir Highway Star e Paranoid me fizeram dar atenção pra musica de um modo que isso influenciou muito em minha vida. Não só no meu estilo de vida mas também em meus círculos de amizade. Conheci muita gente e lugares bacanas, fui a vários shows ( que eu contei até agora foram 36, deverá ser 38 com o Judas e o Whitesnake em setembro \m/) que me divertiram muito. Algumas semanas atrás estava na casa do meu primo e passamos uma tarde conversando e bebendo junto com o cunhado dele, num papo muito animado sobre nossos gostos e amores pelo rock.

Infelizmente tem pessoas que se dizem do rock sem ser verdade. Na minha adolescência rock ‘n roll, lembro que o negócio era ser rock ‘n roll, “roqueiro”, “headbanger”, “metaleiro”, ir nos shows e fazer isso:

rock'n xota!

Metal e "muié" porra!

A galera toda de preto, bebendo, conversando, gritando o nome da banda de modo másculo e viril, cantando as músicas e comentando das bandas que gostam e descobrindo outras bandas por indicações de pessoas que nunca viram na vida e dificilmente verão novamente.

Ae me vem umas porras e me inventam um tal do happy rock, rock colorido e derivados viadísticos que só queimam o filme e irá fazer futuros adultos com vergonha do seu passado bichístico como isso:

Mãe, sou gay e amo coraçõeszinhos

Happy Rock de CU É ROLA!

E, agora sim, começo minha homenagem ao rock ‘n roll mostrando para essa nova geração que ainda num fala fino e diz que ama o merda do Fiuk e do Pe Lanza uma coisa: Vocês ainda tem salvação!

Clique abaixo para iniciar a aula:

Continuar lendo